terça-feira, 8 de janeiro de 2019

2019: Com gratidão, navegar novos mares…


Astrologicamente e numerologicamente 2019 transporta as energias de positividade, entusiasmo e expansão. 

2019 é um ano de energia ou vibração representada pelo número 3 (2+0+1+9=12; 1+2=3). Para os filósofos e matemáticos pitagóricos o número três é o primeiro número que permite criar um objecto geométrico, sendo assim considerado um número mágico e auspicioso. 

Em muitos sistemas filosóficos três é um número sagrado que representa a trindade que encontramos expressa de diversas maneiras: mãe, pai e filh@, nascimento, vida e morte/renascimento, passado, presente e futuro, corpo, mente e espirito, Brahma, Vishnu & Shiva, etc. É o número que permite ir mais além da dualidade e criar novas possibilidades. 

Em numerologia tântrica 2019 é o ano da mente expansiva. Segundo a tradição do Kundalini Yoga este é o aspecto da mente que procura o positivo em cada situação, encontra novas possibilidades e que impulsiona o entusiasmo e o optimismo. [sobre "as três mentes"]

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Com gratidão...

 
Que nesta época festiva “vivamos mais desde a intenção e menos desde o hábito”.
Que as nossas intenções sejam partilhar a luz que somos,
E as nossas acções o reflexo da realidade que queremos viver.

Festas Felizes

Cristina & Juan

domingo, 16 de dezembro de 2018

Reflexões de Inverno...


Com o aproximar do final do ano sentimos o adensar do Inverno, os dias bem mais curtos, nebulosos e frescos. Estamos a chegar ao culminar da fase Yin[1] no ciclo das estações onde domina o elemento água.

À medida que a natureza se despede do seu colorido, somos confrontados com a simplicidade e essência do que fica depois que se desprendem os galardões e a glória de outras estações. Este despojar-se do que não necessitamos para nutrir a nossa essência e o potencial que está dormente em nós, que surgirá na “primavera”, é a simbologia do Inverno.

Segundo a medicina Tradicional Chinesa esta estação do ano está associada aos Rins e Bexiga e ao elemento Água. O elemento Água nutre e lubrifica os ossos e articulações. Os Rins são o órgão que guarda a nossa essência (recebida dos nossos pais no momento da concepção) e vitalidade. Dos Rins recebemos o impulso para crescer, prosperar e evoluir, e também amadurecer e envelhecer graciosamente. A virtude que nos transmite é a da sabedoria e o poder da coragem e força de vontade para seguirmos o nosso propósito de vida.

O excesso de trabalho, o stress e as noites sem dormir esgotam a nossa energia e vitalidade debilitando a energia dos Rins e Bexiga, por isso experimentamos rigidez muscular e articular, em particular dores na zona lombar, entre vários outros sintomas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

A arte de fluir & a "lei do menor esforço"


 Reflexões outonais … 

Aqueles que fluem como a vida flui,
Sabem que não necessitam nenhuma outra força. Lao Tzu

Mesmo as mudanças mais óbvias e esperadas como a mudança de estação são uma chamada de atenção para algo que temos que ajustar ou ter em consideração. E não estamos a falar apenas de “aclimatar” o conteúdo do nosso roupeiro à mudança de estação, mas também em considerar as mudanças interiores necessárias.

Quando sintonizamos de corpo e espírito à nova estação que emerge sentimos um chamamento interior (ou necessidade) que pede mais recolhimento e aconchego ou o desprendimento de alguma bagagem (material ou emocional). Quando nos alinhamos às mudanças energéticas sazonais estamos a seguir o “caminho da menor resistência” (ou segundo outros a “lei do menor esforço”!).

Em Taoismo existe o conceito de wu-wei, ou “acção na inacção”, que significa que as nossas escolhas e acções são guiadas por uma fluidez sem esforço que respeita os ciclos naturais e tem como objectivo um bem maior e não apenas o meu benefício pessoal. Quando respeitamos os ritmos energéticos, tanto internos como externos, as nossas acções estão em harmonia com o Todo, encontramos menos resistência e mais satisfação.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Enraizar na prática do Yoga & na vida…

A solidez da árvore não está nos seus ramos ou frutos, 
mas na profundidade das suas raizes.

Na prática de yoga o enraizamento é essencial para encontrarmos o alinhamento, o equilíbrio e a estabilidade nas posturas (asanas). Significa estar conectada à terra! E usar o suporte que ela nos dá.

Com os pés firmes na terra, sentimos o contacto da planta do pé com o chão e a resistência da terra. Este apoio dá-nos uma âncora e a segurança para podermos assim explorar o corpo e a respiração na postura e ao mesmo tempo descansar o nosso peso sobre a sustentação que temos debaixo dos pés.

O enraizamento é algo que requer que a nossa atenção esteja focada no corpo. Sentimos o corpo, o seu alinhamento, as tensões, ajustamos e relaxamos na postura e no contacto com a terra. Praticamos também a atenção no aqui e agora. Estamos presentes no momento, sentindo a nossa presença e a da terra, na qual existimos e a qual nos sustem e sustenta bem como toda a vida nela existente.